Grafite para vedação: tire suas dúvidas sobre o assunto

Você sabe o que é grafite para vedação? Ainda que seja bastante conhecido por ser útil para bloquear possíveis locais de vazamento, a composição deste material ainda gera dúvidas frequentes — inclusive por quem tem que lidar com ele diariamente para a realização de serviços de manutenção industrial.

Por essa razão, neste texto, falaremos sobre quais são os grafites utilizados para vedação e suas principais aplicações. Se quer entender melhor sobre o assunto e saber como utilizar isso a seu favor, fique ligado!

O que é grafite para vedação?

O grafite é um mineral alótropo de carbono, muito utilizado na confecção de produtos de alta performance para vedação industrial. Apresenta ótima condutibilidade elétrica, alta resistência química e térmica. Devido a essas características singulares, o grafite é empregado na confecção de gaxetas, juntas e peças para evitar fugas e vazamentos.

Nesse contexto, conhecer melhor sobre as possibilidades que ele oferece não é bem uma opção, mas, sim, um passo fundamental para quem quer melhorar os resultados obtidos com a vedação de equipamentos na indústria.

Ficou curioso para saber como isso acontece? Leia o tópico abaixo e entenda melhor!

Quais são suas principais aplicações?

Abaixo, selecionamos 3 dos principais materiais de vedação nos quais o grafite pode ser usado como base:

Gaxetas

Fabricadas com fios trançados de diversas fibras, as gaxetas de vedação são cordas em bitola quadrada que têm como principais características a maciez, a flexibilidade e a resiliência, fatores que fazem com que elas contem com um altíssimo potencial elástico.

Além disso, por também contarem com uma boa resistência mecânica, térmica e química, elas são utilizadas para a fabricação de anéis de vedação que, envolvendo eixos e hastes, evitam vazamentos de máquinas no setor industrial.

Alguns de seus modelos mais eficientes dispõem do grafite em sua composição, seja ele do tipo rígido ou flexível (falaremos dessas variações mais adiante).

Juntas

A junta de vedação, por sua vez, é uma ferramenta que, quando comprimida entre duas partes de uma união flangeada, mantém o vazamento de um fluido dentro dos limites aceitáveis para uma aplicação eficiente.

Ainda que possam ser encontrados em diversos materiais, aquelas que são fabricadas a partir do grafite flexível são consideradas as mais seguras do mercado. Isso se dá, principalmente, devido às juntas de grafite flexível contarem com os seguintes benefícios:

  • capacidade de selabilidade superior aos demais materiais;

  • excepcional resistência à flutuação de temperatura;

  • ótima resistência química;

  • alta condutibilidade térmica e elétrica.

Placas

Por último, na mesma linha das gaxetas e juntas, as placas de grafite são destinadas à vedação industrial de alta performance. Devido ao seu baixíssimo coeficiente de atrito, elas apresentam longa vida útil, excelente selabilidade, ótima resistência química e alta selabilidade termoelétrica.

Assim, elas podem ser empregadas em ambientes com temperaturas extremas e vedar, com total eficácia, os mais diferentes produtos químicos.

Quais são os tipos de grafite mais comuns na indústria?

Agora que você já conheceu quais são as aplicações de vedação mais comuns que têm o grafite em sua constituição, é hora de apresentarmos os tipos de grafite mais empregados para fins de manutenção. Confira abaixo as duas variedades que se destacam!

Grafite flexível

Considerado um dos materiais mais seguros para a confecção de itens de vedação, o grafite flexível é um composto obtido por meio dos processos de expansão e calandragem do grafite puro. Por suportar temperaturas de até 650°C, ele é ideal tanto para a fabricação de gaxetas, placas ou juntas.

Para a produção dessas peças, normalmente, os materiais constituídos de grafite flexível são fabricados na espessura de 0,8, 1,6 e 3,2 milímetros (mm). Dessa forma, as juntas feitas a partir dessa composição apresentam baixíssimo coeficiente de atrito, são autolubrificantes e resilientes — o que faz com que elas tenham uma longa vida útil.

Por sua vez, as gaxetas em grafite flexível diferenciam-se das juntas, em um primeiro momento, por serem fabricadas em bitola quadrada. Porém, por também apresentarem baixo coeficiente de atrito e boa dissipação de calor, elas são altamente indicadas para trabalhos dinâmicos em bombas com alta velocidade periférica e válvulas.

Já as placas de grafite flexível também se sobressaem por suportarem pressão elevada e, mais do que isso, por serem altamente resistentes a ataques químicos. O contraponto é que elas, assim como as gaxetas e as juntas do mesmo material, não devem ser aplicadas em meios oxidantes que tenham temperaturas superiores a 450°C.

Essa precaução se dá pois, quando o carbono é aquecido na presença do oxigênio, há formação de dióxido de carbono — composto que reduz a massa da junta (ou da gaxeta) e acaba causando possíveis vazamentos.

Grafite rígido

Igualmente difundido no mercado, o grafite rígido — também conhecido como carbono carvão — é um material de extrema qualidade para a produção de peças para vedação industrial. Ele é altamente resistente a temperaturas elevadas e chega a suportar até mesmo 2.000°C. Ou seja, sua resistência térmica é bastante superior à do grafite flexível.

Devido às suas características, o grafite rígido acaba sendo muito utilizado como cadinho para fundição em empresas de alumínio e como eletrodo em siderúrgicas. Aliados, seu baixíssimo coeficiente de atrito e sua estabilidade termomecânica também proporcionam a confecção de palhetas para bombas, buchas e anéis para vedação.

O grafite rígido substitui — com largas vantagens — diversos outros tipos de materiais indicados para vedação. Sua resistência química é comparável apenas à do politetrafluoretileno (PTFE).

Para ficar mais fácil de visualizar, veja abaixo quais são as características mais marcantes do grafite rígido:

  • é autolubrificante;

  • possui baixíssimo coeficiente de atrito;

  • tem boa resistência mecânica;

  • conta com excepcional resistência termoquímica;

  • tem estabilidade dimensional;

  • é de fácil usinabilidade;

  • pode suportar até 2.000 °C.

Dessa forma, pelos pontos destacados acima, o grafite rígido acaba sendo extremamente relevante para aplicação em indústrias, — sobretudo aquelas que trabalham com compostos a uma altíssima temperatura, tais como as siderúrgicas.

Conseguiu entender melhor sobre como os grafites para vedação podem ser úteis? Entre em contato conosco para que possamos auxiliá-lo a escolher aquele que melhor atende ao seu negócio

error: Conteúdo protegido!