Como reduzir acidentes de trabalho no chão de fábrica? Veja mais!

http://asalit.com.br/wp-content/uploads/2018/01/158055-como-reduzir-acidentes-de-trabalho-no-chao-de-fabrica-veja-mais.jpg

Acidentes e doenças relacionadas ao ambiente de trabalho têm sido um problema nos diversos ramos da indústria. As empresas estão se conscientizando sobre a importância de investir na Segurança do Trabalho, fazendo com que vários profissionais se especializem na área.

Para além de gastos com indenizações, tratamentos médicos e afastamentos, a integridade e capacidade de cada funcionário precisam ser protegidas. Atividades que envolvem condições arriscadas, como soldagem, manutenção de caldeiras ou operação em torres de perfuração e plataformas offshore merecem atenção e proteção redobradas.

Você sabe como reduzir acidentes de trabalho dentro da realidade da sua companhia? Leia o post e confira algumas dicas!

Use equipamentos de proteção individual

O EPI, sigla para equipamento de proteção individual, é definido na Norma Regulamentadora nº 06 do Ministério do Trabalho e Emprego, sendo

“todo dispositivo ou produto, de uso individual utilizado pelo trabalhador, destinado à proteção de riscos suscetíveis de ameaçar a segurança e a saúde no trabalho.”

Cada profissão demanda um cuidado diferente, e o empregador tem a responsabilidade de disponibilizar o EPI necessário à atividade que o empregado irá exercer. O colaborador também tem a obrigação de utilizar corretamente e zelar por cada equipamento uma vez que está sob sua posse.

Mantenha o local organizado e sinalizado

Caixas, peças e objetos não acondicionados de maneira correta podem obstruir passagens seguras, ocasionar quedas ou dificultar que o funcionário tenha sob fácil alcance os equipamentos de proteção.

Todo o maquinário deve apresentar instruções de uso e um manual de operação para que o operário conheça ao que está sendo exposto. Além dessas ferramentas, o ambiente deve apresentar placas identificando os perigos de cada área, assim como faixas delimitando onde é permitido ou não o trânsito de pessoas.

Os EPC’s, equipamentos de proteção coletiva, também devem estar em cena e são essenciais. Alguns exemplos são: cones, fitas e placas de sinalização, alarmes, cortinas de solda, plataformas, grades e dispositivos de bloqueio.

Automatize os processos

A tecnologia pode ser usada a seu favor de duas formas:

  1. invista em máquinas que alavanquem a produtividade, mas que sejam seguras e ofereçam poucas ameaças ao trabalhador. Processos mais produtivos diminuem o retrabalho e as atividades realizadas em determinado período. Se expostos a tarefas perigosas e repetitivas por menos tempo, os colaboradores poderão focar suas energias em esforços mais leves;
  2. através de históricos digitais, acompanhe a saúde e controle as datas dos exames obrigatórios de cada integrante da corporação. Monitore os estoques de EPIs e EPCs de maneira que estejam disponíveis e armazenados quando necessários.

Comunique e documente os incidentes

A pirâmide de desvios mostra que todo incidente tem causa e consequência. Baseada na obra de Herbert William Heinrich, a pirâmide aponta que 300 acidentes sem lesões levariam a 29 acidentes com lesões leves e a um acidente com lesão grave ou incapacitante.

Registrar todas as ocorrências possibilita fazer análise de riscos e causas mais recorrentes das mesmas. Uma vez que as motivações forem conhecidas, novos procedimentos, alertas e campanhas de segurança serão mais assertivos. As experiências consideradas leves servirão de alerta para que lesões graves não aconteçam.

Conscientize a equipe

Mesmo que todos os EPIs sejam disponibilizados e as sinalizações estejam corretas, o maior ator da segurança do trabalho sempre será o funcionário. Esclareça a necessidade individual do cuidado genuíno para que todos voltem bem para suas casas.

Divulgue os riscos pelos quais os trabalhadores estão submetidos e os procedimentos que devem ser executados em emergências. Estimule o comportamento seguro através de treinamentos e capacitações e promova ações de saúde e qualidade de vida como ginástica laboral, reeducação alimentar e palestras sobre doenças crônicas.

Muitas situações podem gerar um acidente de trabalho. Essas mostram que, com a utilização de equipamentos de segurança, explicações sobre posturas corretas, ações que promovam a ergonomia e outros cuidados, a incidência de acidentes sofre significativa redução.

É importante nos conscientizarmos que é de nossa responsabilidade cuidar de si e do companheiro que está ao nosso lado. Reduzir acidentes de trabalho é uma batalha conjunta, na qual todos ganham.

Aprendeu novas maneiras de cuidar da segurança? Quer aprender mais com nossos conteúdos? Assine a nossa newsletter e receba outros posts exclusivos da Asalit!

error: Conteúdo protegido!